As dores do mundo

Precisamos dessa venda, essa que faz a gente olhar superficialmente para nós mesmos.
Hoje eu chorei as dores do mundo.
Eu tirei a venda e fui ver o que está acontecendo ao meu redor, perto e longe de mim.
A fome é uma verdade que dói.
Não posso falar atoa, tem muitas pessoas passando fome no mundo. Isso são palavras vazias. Eu preciso ir ver as pessoas passando fome.
Experimente fazer esse exercício.
Olhar pelo menos quinze fotos de pessoas desnutridas. Mães com filhos morrendo em seus colos. Porque eles não tem o arroz com feijão que você tem na mesa.
Eu me sinto tão egoísta, tão egoísta depois de ver essas fotos.
Eu me preocupando com uma alimentação com menos carne e outros não tem nem escolha.

Eu tenho dinheiro para gastar com a minha saúde e com a dos meus filhos.
Tenho dinheiro para fazer tratamentos alternativos.
E minha avó perdeu um filho que foi mordido por um cachorro e tomou uma vacina de tétano.
Minha avó era pobre, não teve como estudar e perdeu seu filho, por ser "mais um" no hospital. Vocês não tem ideia como é pensar em perder um filho. Perder de fato, é morrer por dentro.
Eu vi um vídeo de uma criança de um ano e oito meses chamada Ruth, morrendo por causa de uma pneumonia. E a médica reclamava das condições e ninguém fazia nada. O hospital estava destruído. E a Ruth morreu. Eu tenho filhos e isso dói muito no meu coração.

Quantas outras coisas acontecem nesse mundo.
Quantas atrocidades.
A falta de segurança expõe crianças, adolescente, adultos e idosos.
Policiais são mortos e também são assassinos.
Políticos não pensam em ninguém, só em si mesmos.
Eu vejo deputados defendendo minorias, mas são hipócritas.

Eu vejo dor, eu vejo indiferença.
Eu posso ajudar tão pouco. Mas as vezes meu pouco é muito para alguém.
Só que é tão difícil olhar para essas dores e precisar sobreviver a elas.

Meu Deus, Meu Deus.
Por que nos abandonaste?
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

HUMILDADE ...

Amor fechado