Eu sou livre



Uma vez um cara que eu admiro falou uma frase que me marcou no momento em que eu ouvi. E a frase foi: "A única certeza que eu tenho é que não estamos nesse mundo para ter uma vidinha, mas para sermos felizes, esse era o propósito de Deus quando nos fez tudo isso."
Parece piegas ou muito óbvio, mas na prática não é tão fácil quanto parece, mas esse é o real sentido de viver. 
Nós sempre alimentamos sentimentos ruins ou nos limitamos pela moral, por dinheiro ou por sei la mais o que. 
Eu sempre fui tão livre na minha vida e eu amo ser assim. Desde pequena meu nível de vergonha, medo e dor eram sempre muito baixos. 
Eu nunca fui de planejar nada, isso já foi bom e ruim, mas sempre me fez viver da maneira mais gostosa. 
A vida tem muito mais para oferecer e eu quero sentir tudo que me deixa livre, corajosa e ao mesmo tempo segura. 
Eu quero sim desafiar todos meus limites, mas os saudáveis, os que precisam ser vividos. 
Quando pequena eu quis um belo dia criar uma barraquinha de limonada na rua de casa e eu fiz com as minhas amigas. Eu quis fazer teatro e eu fiz da maneira mais verdadeira e me entreguei, não estava nem aí se alguém me achava ridícula. Eu adorava fazer surpresas e surpreender, cada dia eu inventava algo diferente para brincar. Levava café na cama para minha mãe ou arrumava a mesa do café da forma mais linda e colorida que podia. 
Faço declarações para quem eu sentir vontade, meus amigos nunca sentirão falta de carinho ou de palavras bonitas. Se eu fosse homem, minha namorada ia ter um cara totalmente romântico, daqueles que fazem letras de música, que manda flores sem data marcada, que escrevem poesia ou a leva para qualquer lugar inusitado.
Ahhh lugares inusitados. Adoro ter vontades de viajar no meio do nada,  de um dia x e realizar esse desejo. Um fim de domingo onde nada mais promete, pegar o carro e ir ver o por do sol na praia que fica a duas horas da minha cidade, por que não? 
Desafiar meus medos e se eu der com a cara na parede, tanto faz eu não tenho medo das minhas consequências porque são exatamente elas que me fortalecem. 
Eu sou forte. Eu fui acusada na sala de aula por fofoca, por 90% dos alunos, sendo que eu não fiz (eu contei pra minha mãe e ela vacilou, não eu, não era minha intenção ferrar ninguém, não esperava o boicote da minha própria mãe), foi a vez que eu me senti mais acuada na minha vida, eu chorei bastante só que no outro dia estava em pé e foda-se, eu tava ali para estudar e não para agradar ninguém acreditando ou não na minha palavra. E cedo assim, eu aprendi que ninguém no mundo pode me parar. Que eu não vou deixar de amar, ou procurar minha felicidade porque alguém quer me ver infeliz, quer me julgar ou falar o que quiser. Falem o que quiser. 
Ali eu aprendi que um amigo pode ser melhor e mais verdadeiro que mil. E eu vivi tendo um núcleo pequeno de amizades e apesar das imaturidades e briguinhas foi a melhor coisa que eu fiz. Porque foi intenso e eu aprendi a viver em grupos maiores.
Eu vivo para nada me afetar, porque Deus é bem maior que tudo isso na minha língua. 
Hoje eu falo o que eu quero, penso muito para falar, mas não para ofender ninguém mas para me expressar. Eu evito sim discussões, mas não tenho medo delas. Se eu estiver errada, eu só vou descobrir que estou errada. 
E aí eu aprendi mais um pouco. 
Aprender, eu amo aprender.
Minha vontade, minha mina de ouro seria encontrar um casal de  sertanejos em qualquer roça por ai e sentar no chão para ouvir suas histórias enquanto eles enrolam um cigarro de palha. Aprender sobre a vida e sobre Deus sempre é mais profundo por essas pessoas. 
Quero estar ao máximo em contato com a natureza, pular na água gelada de uma cachoeira,  sentir meu corpo estremecer e sair e me sentir purificada. Quero plantar mais árvores e contribuir para o ar que eu respiro, quero brincar na lama, correr descalça na grama e comer fruta no pé. 
Sentir o cheiro das flores e sempre fazer uma oração perto do mar. 
Ahh o mar ! Para um caranguejo, o mar é preciso, é o bem mais necessário para prosseguir. Posso viajar para qualquer lugar, mas nunca me sinto mais em paz e mais descansada se não vou ver o mar. E aliás, sempre o de Ubatuba. 
Eu sou apaixonada pela vida, eu quero passar medos, voar de balão, pular de para-quedas e fazer qualquer loucura nas alturas. 
Quero amar meus filhos de forma verdadeira, quero criar homens de bem, colocar os limites só no caráter e ensiná-los a serem felizes com pouco. Se tem só uma barraca para dormir, ou um colchão velho está ótimo, vamos dormir com o que tiver ali, comer qualquer tipo de almoço desde que seja higiênico e amar a simplicidade da vida. 
Quero conquistar o mundo com meu marido. Quero brigar muito com ele, quero amar ele pra valer e ser totalmente transparente. Caminhar ao seu lado de mãos dadas, mas deixando-o livre para solta-las quando quiser, eu confio que ele sempre vai voltar. 
Quero amar incondicionalmente sempre. Quero sair e me aventurar em sensações. 
Afinal a vida sempre tem muito mais para oferecer.
Eu não quero ter medo da vida, porque eu não quero ter medo da morte.    


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

HUMILDADE ...

Amor fechado