Música e outra chance.

O barulho que vinha de fora me fez sentir curiosidade e medo ao mesmo tempo. Vagarosamente me aproximei da janela e puxei a cortina devagar.
Ela estava ali outra vez. Com seu sorriso tímido e alegre. Ela tinha voltado depois de cinco invernos.
Sentei no sofá e pensei que aquela poderia ser a minha última chance de pedir desculpas, minha última chance de me reaproximar dela. Quem sabe quando voltaria? E como voltaria? Casada ou com filhos talvez?
A ansiedade consumiu meu coração.
Tudo foi ficando escuro e eu já tinha comido cada unha dos meus dedos. Tudo que eu pensei em fazer, não parecia suficiente.
O que posso fazer para Laura me ouvir? E também para a mãe dela não me atrapalhar?
Meu violão pendurado que estava desfocado na parede desde que ela se foi, apareceu e quase brilhou aos meus olhos.
Era só eu tocar na frente da minha garagem, ela precisaria sair a qualquer momento la na frente.
O frio cortava meus dedos, mas comecei a tocar a nossa música.
Toquei uma hora sem parar e ela não saiu. Parei. Olhei para o céu e pensei que ela poderia não ter me ouvido ou não ter me entendido.
Foi quando ela destrancou o portão
_Desistiu?
_De você, nunca!
_Então por que parou de tocar?
_Estava rezando para você voltar.
_É ? E o que você quer?
_Você e uma segunda chance.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

HUMILDADE ...

Amor fechado