Não ao poder


Eu só temo que quem é oprimido vire opressor.
Como eu já disse, palavras vazias são só palavras vazias. As atitudes nunca devem ser e não merecem ser olho por olho dente por dente. Sabe por que? Porque é só uma questão de luta, é só uma questão de tomar o poder e aí é só uma questão de justiça e não de evolução. O que é ser justo? Quando meu marido estava fazendo seu tcc de direito, determinar o que é justo e o que é injusto é algo bem tendencioso e superficial. Pensando nisso, o máximo que posso chegar na definição de justiça é o bem de uma maioria. E aí se cria uma democracia.
Eu sempre achei que o que é democrático exclui. E de fato, exclui mesmo. A maioria toma uma decisão e nem pensamos mais sobre isso. Então na realidade a democracia é uma VENDA, que faz parte do capitalismo. Não emancipa ninguém. Vendemos ideologias, compramos ideologias e reproduzimos. Nesse ponto somos vítimas ou vilões.
Hoje em dia existem tantas bandeiras, tantos comportamentos que são defendidos para sermos diferentes.
Eu acho isso muito bom, a internet facilita e MUITO na desalienação de uma massa, porque entramos em contato com conteúdos que talvez dentro de uma cidade ou de uma comunidade fechada não entraríamos. Eu acho isso válido.
Só que devemos nos fortalecer diante disso. Para um mar de ideias e conceitos não tomarem a nossa cabeça e esquecermos o que realmente acreditamos e o que nos faz bem. Não deixem de pensar que ideias são sempre vendidas, porque alguém julga ser algo legal para vida dele. Mudar, mudar. Evoluir, evoluir. Poxa, é preciso! Nos tornarmos sempre melhores. Mas quando nos tornamos melhores não excluímos. E cuidado com algumas mudanças, esteja preparado para elas. Porque se não, vira uma tentativa hipócrita, vazia e que gera sofrimento. Sim, quando sentimos as dores do mundo, sofremos e bastante. Devesse buscar caminhos para se fortalecer. Se fortalecer para sugar a dor e devolver amor. Sempre devolva com amor. Porque é só o amor que transforma. E aí eu estou vendendo a minha ideia também.
ADOREI de verdade o conceito de psicologia social comunitária. Já falei isso aqui antes. Porque achei o conceito MAIS evoluído que conheci. Viver e conviver com as diferenças. Carnívoros, veganos e vegetarianos por exemplo. Cada um entendendo seu ponto, respeitando e fazendo suas escolhas, conhecendo seus limites. E me deu um tapa na cara. A minha verdade, não precisa ser e nem deve ser a verdade do outro. O equilíbrio deve existir SEMPRE. Não, eu não estou defendendo por exemplo a exploração ambiental. Ta bem longe disso. Tudo deve ser feito de forma consciente, sem visar lucro, sem desperdício e com muita análise. Estou falando de ideias, moral e ética. Que não exclui, não segrega e não marginaliza. Só que eu não acho que nenhum poder deve sobrepor o outro. Nenhum. Porque eu volto para o começo da frase, nenhum oprimido deve virar opressor, porque dessa forma lutar por igualdade não faz nenhum sentido. Devemos então dar o verdadeiro nome aos bois.
Daí vão dizer que nunca movemos nada como amor.
Então o problema é da nossa evolução.
Não somos evoluídos se não conseguimos o bem pelo bem. Estou vendendo minha ideia.
Quem foi crucificado, sim era, de fato.
Não somos evoluído para agir por amor e nem para aprender a ouvir e mudar por amor. 
Aí esta  o verdadeiro mistério da vida. Essa mudança através do bem e das boas energias.
Criaram até uma palavra para isso, utopia.
Não ache que você não faz parte de um sistema, por pensar diferente. Pensar não é agir. Agir para com o outro. 
Por uma sociedade onde a essência é dinâmica. Onde as ideias são passadas a nível educativo e para análise. Jamais para domínio. Práticas conscientes e transformadoras, já!
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

HUMILDADE ...

Amor fechado