Seu arrependimento





Ah! Aquele dia que você se foi.
Despedaçando- me por inteira.
Eu não podia respirar e me rastejei durante anos.
Você me trocou e eu adoeci.
Eu fiz tudo por você! Por que? Eu me perguntava.
Fiquei nua de corpo e alma pra nada.
Minhas mãos estavam calejadas por querer deixar suas roupas perfeitas.

O cheiro da comida sempre atiçou vizinhos e cachorros para porta da nossa casa.
O café sempre fresco.
Sempre pontual com meus horários.
Você nunca me ouviu sair da cama. 

Eu te observava dormir, acariciava seu pés.
Eu beijava o chão que você pisava, amor.

E mesmo assim você se foi ...
Queria sentir mais amor.
Mais amor que eu poderia te dar.
Minhas loucuras, meu carinho e minha pele já não lhe agradavam.

Ela te prometeu o mundo.
Enquanto eu sempre lhe prometi minha alma.

Minha flor secou...

Até que o dia chegou.
O dia em que bateu em minha porta.
Magro, sujo e amassado.
Segurei-me para não me jogar em seus braços e te acolher.

Só o que soubemos fazer foi chorar.
Chorar todo meu sofrimento.
E seu arrependimento.
Choramos seu pedido de perdão em silêncio.
Sua injustiça.

Humilhe-se!
Implore! 
Peça! 
Ah o tempo...

Mas eu sou humilde meu querido.
Pra você guardei meu amor.
Só meu amor.

Meu peito estremeceu.
Meu chão padeceu.
E agora reestruturei meu castelo.
Assim como a fênix,
você renasceu das cinzas.

E agora me ama.
Ama meu perdão.
Me ama como mulher.

Eu te perdoei...

Agora vivemos melhor. 

Eu intensa como antes, mas aprendi com 
sua ausência.
Alcançar um mistério, 
que você nunca mais irá desvendar.

Não se sinta mais seguro meu bem.
Nunca mais !









Acesse
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

HUMILDADE ...

Amor fechado