Tive medo

Eu tenho medo de me entregar
Fico prendendo meu ar
Até não pode mais amar

Eu tenho medo de sentir
Tudo acabar e ter que mentir
E acabar por omitir
Todos os meus sentimentos

Eu tenho medo de enfrentar
Preferi não lutar
Não me desculpar
e com isso  não cheguei a nenhum lugar
Fiquei sozinha ao luar

Eu sempre dependi do seu amor
Sem saber que depender é dor
É ser menos eu e mais aceitador
Aceitando a dor e seu sabor
Um completo impostor

Sempre tive medidas
E medidas não são criativas
São sempre regras
Que limitam a vida

São tantos medos
Por saber uma verdade
Que dentro de mim não tenho metades
Eu tenho um tanto
Tanto que transbordo
De amor e ódio
E preciso me proteger


Precisava de equilíbrio
Mas ele virou um delírio
E colocou uma coleira
No meu sentir
No meu agir
No meu falar.

Eu preciso é aprender
A amar sem esperar
Um dia receber

Se serei boba?
Bobo será você
Por se pássaro e só se debater
Porque é preciso voar.

Porque se não
Tudo vira solidão
E ninguém poderá saber
Que o grande lema da vida é ser
Ser inteiro por acreditar
Que tudo nessa vida vale a pena
Se for possível superar
O medo de amar.

1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

HUMILDADE ...

Amor fechado