Vó, que saudades.

Não sei bem como explicar
Você é tudo que eu pude desejar
Você foi mãe, mas não aquela "de brigar"
Contando histórias podia me educar
Porque de muitas surras você pode me salvar
Você foi doce como as balas que me dava
Você tinha o cheiro tão bom quanto as flores que plantava
Era tão legal quanto as estórias que contava
Alegria posso dizer era ir na sua casa
Batata frita no almoço
Eu comprava o refri no bar do moço
Biscoito no café, pizza pro jantar
Não aguentava nem falar!
E no final um cafuné
Mas o bom mesmo, era estar ao seu lado
Sentir de novo seu abraço apertado
Poder viajar para o passado
Conhecer os lugares que tinha andado
E aprender através de você, o que nunca fazer
Você me mostrou que o mundo era lindo
E hoje sem você, não consegui ver que o passado é só passado
Sem você é menos doce...
Não ver a hora passar
Rir e rir até chorar
Vovó, vozinha, vó
Eu te amo mais que tudo
Mais que o céu mais que o mundo
Que saudade de você
Que saudade do seu olhar
De te ouvir cantarolar
Do seu cabelo liso pentear
De fazer boizinhos no chuchu
Comer cenoura crú
De saber que ao meu lado estava
meu exemplo de mulher
Minha heroína.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

Amor fechado

Amor a primeira vista