A mansão do amor


Por que será que muitas perguntas ficam sem respostas?
Porque será que quando se tem tudo parece não se ter nada?
Por que eu sou infeliz?
Por que eu preciso me drogar?
Por que eu beijo várias pessoas e nada me faz pulsar?

Não importa quanto dinheiro você tenha.
Não importa quantas mulheres, homens você "tenha".
Não importa se você está com a pessoa da sua vida ao lado.
Se você cultiva só pensamentos e sentimentos amargos.

As respostas mais esclarecedoras estão não na palavra,
mas no ato de amar. 
Você pode sentir ciúmes e ficar insegura, mas quando
 lembrar que existe amor, nada mais te sufoca, mas cura.
Você é capaz de brincar com aquilo que era impossível.
Porque o amor é um nó em corda de aço.
É ser os olhos e o coração do outro.
É saber que até o físico só vale a pena, só conquista e ainda só leva a alturas colossais, se existe amor.
Se não, é chover no molhado.
Você pode sentir prazer sem amor
Mas o amor potencializa o prazer que se torna então insano.
Prazer sem amor é alugar um apartamento em Paris.
Prazer com um certo gostar é como ser dono de uma mansão em Paris, podendo degustar do melhor Cabernet, fumando um charuto colombiano e apreciando toda arte que as curvas da pessoa a sua frente é capaz de te incitar.   
Amor e prazer é ser dono de Paris e quiçá do mundo, é ser livre, é ser sincero e concreto. É ter tesão não por curvas, mas por beijos que sempre são convites para um paraíso cheio de cores. 
É uma poesia tremenda em um só verso. 
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

HUMILDADE ...

Amor fechado