Dia nublado, indiferença à diferença

Muitas pessoas não gostam de um dia nublado, eu particularmente sou apaixonada por eles.
Eu sei que existe um sol por trás de todas aquelas nuvens cinzas, carregadas de água que não caem.
Parece que o sol não nasceu para tornar aquele dia mais lindo, mas ele existe.
Disse que me considero um dia nublado como uma metáfora e vou explicá-la agora.
Assim como o sol parece não existir para alguns dias, deixando-os nublados, existem pessoas, sonhos, profissões, enfim coisas que não entendemos o por que não "nascem" para nós.
Aquele trabalho que você não consegue ou o vestibular impossível, aquelas notas que não são um 10, mas também não são tão ruins, pessoas que sempre te ligam quando precisam, que não fazem tanta questão assim da sua presença, mas te ligam, até que gostam de você. Às vezes parece até um carma da sua vida, ser aquela "água sem sal".
Você não é um dia azul, mas também não é um desastre total de uma tempestade,  é apenas um dia nublado e comum.
Os dias nublados costumam ser pessoas normais demais: o filho do meio, o segundo neto, terceiro ou quarto, o aluno que não é um gênio, mas tira notas boas, o profissional que está estabilizado, mas não é "o cara".
Eu me considero normal, até demais, mas hoje vejo benefícios, apesar de sofrer um pouco na infância. E qual criança não quer ser o centro das atenções? Lidar com a indiferença, ou a diferença de alguma pessoas da minha família foi difícil pra mim, mas aí que descobri o lindo dia nublado que poderia me tornar.
Antes de falarmos de sentimentos aprendi em primeiro lugar que, como dias nublados, ver o sol raiar para nós ( Nós, se você também se considera alguém como eu) nunca será uma tarefa fácil. Precisamos de muitos ventos e conviver com a possibilidade da tempestade. Algumas pessoas nascem e precisam de enfoque, determinação.
Com isso aprendemos que existe sim possibilidade para algumas coisas, mas é necessário um empenho além do nosso limite, não tem qi ou talento natural, é suor! Cabe a nós estarmos dispostos à isso e geralmente quando realmente queremos algo assim, somos ansiosos pelo fim, que quando percebemos sopramos muitas tempestades.
Pessoas de dias nublados não são fracas, não costumam derramar lágrimas com tanta facilidade, enfrentam o dia - a - dia, não porque são insensíveis, mas porque foram preparadas para isso e assim como as nuvens, preferem esconder o "sol" de sentimentos que estão dentro delas. Apesar de sermos só nuvens, precisamos demostrar nosso valor. Quer coisa melhor que um dia fresco?
Podemos ser extremamente competitivos, mas o "não" que costumamos ouvir frequentemente, não nos abalam mais. O "não" pode ser facilmente descartado, simplesmente seguimos sem muita dor ( ou pelo menos sem permitirmos senti-la), por outro lado, se esse "não" for inaceitável vamos até o fim para transformá-lo em "sim", mesmo que precisemos abrir mão de muitas coisas, conscientemente. É GUERRA DECLARADA!
Eu sou assim, mas claro, com princípios.

Apesar de ser filha única e última neta, nunca fui coberta de presentes que eu gostaria de ter ou escolhia o que ia comer, enfim não fui mimada! O regime era fechado por pais que conviveram com extrema pobreza, mas que venceram. Então nunca existiu papai noel ou coelho da páscoa, não teve uma princesinha que fez ballet, pelo contrário. Fui fortalecida a lutar quando precisasse, ir doente para escola (mesmo que isso não seja o ideal, até pela contaminação), engolir o choro e dar o melhor de mim, porque era minha obrigação. Sim, realmente era.Mas quando quis o meu computador, na época que era moda, neguei o "não podemos" dos meus pais e comprei mesmo assim, juntando moedas por quase 3 anos. Não culpo meus pais, sinceramente gostei muito de ser criada assim, mas não repetiria com meus filhos. Amadureci muito rápido, de uma forma mais dura, porque para mim só existia certo ou errado e mesmo negando o sofrimento, sofri mais vezes em doses homeopáticas, mas como um bom dia nublado, escondi e engoli. É difícil entender, mas pensem assim: uma pessoa que nega um sentimento, ela não pensa sobre ele, não processa, não desenvolve. No fim ela só sabe evitá-lo, mas não sabe lidar com ele.
E hoje, apesar de admirar a força de um bom dia nublado, escrevo para você que se acha um desses dias.
As vezes é bom não se abalar, ser forte, não chorar, "descartar" pessoas que não merecem seu amor e continuar trilhando seu caminho, mas cuidado.
Apesar da vida ser difícil, as pessoas serem "de verdade"quando convém, você achar muitas falhas nos sistemas por ai, não se esqueça primeiramente, que você também é muito falho, apesar de toda a estrutura de aço a sua volta. Quanto mais rígidos somos, é muito fácil quebrarmos inteiros de uma vez só, quando de fato caímos. O peso de nosso corpo, mente, as cicatrizes não curadas podem ser armas contra nós. Orgulho e proteção demais, não avaliam ou premeditam o que pode acontecer no amanhã,
E de repente depois de muito tempo, apesar do fortalecimento, podemos cair em tempestade e tudo se confunde. Cadê minha força?
E é quando você se pergunta, por que eu fiz tudo isso? Por que me protegi e vivi nessa zona de conforto? Por que lidar com a verdade é tão ruim? Afinal é tão ruim assim ser amado da forma que me amam ou ser quem eu sou? É motivo de vergonha chegar onde eu cheguei, ou não conseguir chegar onde quis?
Você passa uma vida se protegendo de verdades, se magoando com pessoas, desistindo de trabalhos e não engolindo sapos. Porque você não quis encarar a verdade da sua existência. E encarar é aprender a amar aquilo que se é e o que se tem. Como dizem os religiosos, dar Graças a Deus.
Não é uma tarefa fácil, mas é necessária.
É assim que eu vejo a cura, ou possível cura para todas as cicatrizes para esse dia nublado feito de aço, que é muito frágil.
Não importa o quão rígido é o aço, porque o que importa para a proteção dessa vida é o quão elástico você pode ser.

Maleável,simples, ordinário.

O maior tombo de alguém feito de aço é quando se vê só. Orgulhosamente protegido, mas só e sem conseguir o que criou para si. O maior erro dessa sociedade é querer desenhar planos de carreira, planos sobre o amor da vida. Criar, criar. Criar não é ser ou enfrentar.

Custam em retrucar que Tom Jobim errou em seu dito e que podemos ser felizes sozinhos, mas eu ainda insisto que não. Não se pode ser feliz sozinho e é impossível sem aceitar o que somos. E quando não nos amamos, ou amamos o que temos, caminhamos só, é uma triste tendência de pessoas platonistas e idealistas. Podemos sim sonhar, mas não podemos esquecer de nossos pés que estão presos ao chão pela gravidade. Esquecer disso é uma arrogância.
Precisamos de calor e de verdade, quando negamos isso porque não conseguimos conviver com o que temos ou somos, não estamos sendo maleáveis e pior não estamos nos dando a possibilidade de errar, porque quando não estamos contente com a forma que a vida nos dá, nos tornamos extremamente perfeccionistas e exigimos mais . E quando temos apenas um modo de fazer as coisas, uma verdade, uma vontade, um sonho, não aprendemos quase nada, alienamo-nos na nossa verdade e tentativa de pureza.
Nem a água que bebemos é pura.
Não importa se uma pessoa não te dá o amor que você gostaria, não importa que você sempre é o último a ser convidado, não importa se você não é um gênio ou não está nos padrões de beleza determinados.
O que importa é você saber o que precisa para ser feliz. Se você acha que precisa ser o mais amado para ser feliz, repense.
A sabedoria não está no primeiro lugar, mas está exatamente no centro das colocações. E chamo esse centro de espelho, não o narcísico, mas o espelho da verdade. Eu sou esse aqui e vamos conviver e lidar e elabora isso!
Quem está em primeiro é o mais exigido e no último também. Quando você é neutro, além de ter a possibilidade de ser amado, tem a liberdade de estar onde quiser, sem medo e sem perdas. De fato é bom cativar, ser o primeiro lugar na vida de alguém, mas bom mesmo é poder aceitar o amor que estão dispostos a te dar, sem correntes. Quando aprendemos isso, sabemos também que temos limites e melhor ainda, que temos que saber o que o outro espera de nós.
E quando você consegue isso, você continua sendo um dia nublado, mas com a possibilidade de formar um belo arco-íris, que é sua sabedoria, sua força, humildade e aceitação. É entender que pessoas de verdade, podem dar só aquilo que são capazes, assim como você, sem culpa.

Só em dias nublados, há possibilidade de belos arco-íris e no final de cada um existe um pote de ouro. E esse ouro não existem em dias ensolarados ou tempestuosos.
O arco-íris é amar independente do amor que te dão, é procurar outros caminhos mesmo quando um se fecha, sem frustrações, amarras e fim


1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

HUMILDADE ...

Amor fechado