Caipira orgulhoso

Deixa eu madruga cedo
Carpina o mato, pranta as verdura
Deus abençoa quem cedo madruga
Dia! Tem que falar pro pessoar da estrada
Eles tem quase que nada
Mas o mió eles tem.
Amor de Deus e fé pra continua.
Eu vou vender laranja no mercado
Aperta o passo, bem apertado
Que o tempo é curto, passa desvairado
Quero tomar garapa e comer amendoim torrado
Armoça logo pra deixa o terreno adubado
Depois tomar um banho e busca a moça pra reza
Agradecê a Deus pra mode abençoa
Que o pão não falte, nem saúde pra trabaia
Dizem que eu sou um caipirão
Não sei ler, sei mesmo não
Mas tenho orguio, não vo dize que não
Pois sei ama, sei esculpir
Minhas mãos estão na terra, no chão
Produzo o meu pão, guardo dinheiro no meu colchão
Minha casa eu que aprendi a construir
Igual passarinho que faz seu ninho
Mato o que como, não tem judiação
Mio que fala eu sei escuta e me emociono de montão
Até arrisco música no meu violão
Meu olhar ta pra lá desse mundão
Ta no horizonte, onde faço todo dia minha oração.
E recebo em graça a chuva pra plantação.
Sou caipira mas jeitoso
Sou caipira sim e orgulhoso
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

Amor fechado

Amor a primeira vista