Eu amo, simplesmente.

O amor é o infinito palpável
Não existem regras para amar
É de uma riqueza inefável
Que nem todos são capazes de alcançar

Se você não entende o que é amar
Pode pensar que sou louco
Mas quando você se permite amar
Entende o porquê gostar é pouco

O amor não se compra
O amor não se vive pela metade
O amor não se troca
O amor se dá com vontade

Se você acredita que há limites para amar
Que é possível se separar ou amar outro alguém
Desculpe, o que você chamou de amar
Foi um paradoxo, seu coração nunca foi de ninguém

O que muitos chamam de amar
É uma verdadeira negociação
Não culpo os que julgam amar
Mas muitas vezes é só paixão
Intensa, insensata e êfemera
Para amar é preciso decisão
Intensa, caridosa e de longa duração

Pode parecer utopia
Utopia deixo ser
Só não chame de amor
Se ele não te pertencer

O amor perdoa, mesmo se não for perdoado
O amor se alegra, mesmo que se for deixado
O amor não obriga, mesmo se for obrigado
O amor não prende, mesmo que condenado
O amor não traí, mesmo que traído
O amor não se vinga, mesmo que vencido


O amor só é amor
O amor é a única e plena verdade
Muito vivem e não aprendem a amar
Muitos aprendem e vivem a liberdade
De ser, sentir e estar.
Aprenda, verdadeiramente a amar.

1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando fui insuficiente e suficiente fui

HUMILDADE ...

Amor fechado